2 de jun de 2016

Pra gente se desprender

Tudo na vida tem prazo de validade.
É preciso aceitar isso.
É preciso se desprender.
Tudo tem um tempo certo pra acontecer, e pra acabar também.  Por isso é preciso se desprender e deixar ir. Pois uma hora chega o momento de dizer adeus e deixar partir aqueles, cujo tempo ao nosso lado já acabou.
Não estou dizendo que é para usar as pessoas e depois de um tempo descarta-las. É algo mais profundo que isso. Muito mais complexo afinal, ninguém vem com prazo de validade na sola do pé.
É necessário entender quando não há mais razões pra lutar por algo, ou alguém. É preciso deixar livre! Deixar ir. Mesmo porque não temos o direito de forçar ninguém a atender as nossas expectativas e anseios de que tudo que temos, e que vivemos seja para sempre.
Aliás, o para sempre nesse século tem se tornado um fardo pra todo mundo. Um prazo de validade obrigatório para tudo, para todos. Não bastasse isso, ainda condicionam a veracidade das coisas, dos relacionamentos, das pessoas, ao tempo que elas duram. Você não pode ter um amor de verão, porque se ele acabar com a chegada do outono, significa que não era verdadeiro. Se não foram amigos para sempre, é porque amizade nunca foi verdadeira. Oi?
É como se tudo o que vivemos fosse uma grande mentira. "Mas como pode?" Você se pergunta. "Se eu me lembro de cada momento, dos bons e dos ruins também. Lembro-me do cheiro, do gosto. Aquelas coisas aconteceram. Foi real!" É como se não interessassem as lembranças. Não importa o que você viveu. Se não durou pra sempre, não foi verdadeiros.
E assim, baseados nesse conceito de veracidade vulgo para sempre, nos prendemos em relações desgastadas, que não fazem bem. Temos que lutar, é claro, por aqueles que amamos, lutar pelo que queremos. Mas principalmente temos que saber quando lutar já não faz mais sentido. Quando é melhor partir ou, deixar ir.

Ninguém tem um sonho só. Ninguém é insubstituível!



Precisamos nos desprender.
Antes que seja tarde demais. Doloroso demais.
E por mais que digam que não foi verdadeiro, que não era pra ser, tudo o que vivemos é parte nós, e ninguém pode nos tirar isso. Não importa se foi uma amizade que durou anos, um casamento que acabou, uma pessoa que se foi. As relações não precisam durar para sempre para serem verdadeiras! Elas precisam ser verdadeiras, intensas e boas enquanto durarem! 
Se não nos desprendermos daqueles cujo tempo em nossa vida acabou, não conseguimos dar espaço para o novo entrar, não vamos em frente buscando realizar novos sonhos, conhecer novos lugares, novos amores. Por nos agarrar a algo que nos prende ao passado, não nos permitimos viver o agora.
Tenho, ainda hoje, desejos que eu tinha há 10 anos atrás. Mas muitas coisas mudaram de lá pra cá. Por exemplo, a minha insistência em tentar fazer com que tudo durasse pra sempre. Minha busca desgastante pela eternidade. Essa é uma das vantagens da maturidade que adquiri nesses dez anos: entender que o valor da relações não está no tempo que elas duram. O tempo além de relativo é só um detalhe entre muitos outros na nossa vida.
Portanto, solte as amarras. Nas voltas do universo: Desprenda-se!

Pra gente se desprender - Marcelo Jeneci




Nenhum comentário:

Postar um comentário