15 de out de 2013

Resenha - A Esperança

Pode parecer estranho, mas, pra mim é mais difícil fazer uma resenha de um livro que eu amei do que de um que detestei. E A esperança é desses que eu amei. E não bastasse isso, o livro é perfeito (sim, às vezes amo livros não perfeitos), e fecha a trilogia com chave de ouro.

Sendo assim, vou tentar fazer a resenha da melhor maneira possível.
Então, vamos por partes.



Livro: A Esperança
Autora: Suzanne Collins
Editora: Rocco

Como os dois primeiros livros, A Esperança é dividida em três partes. A primeira, As cinzas, conta como está a vida de Katniss desde que chegou ao Distrito 13. A rotina, a falta de ânimo a tristeza, a pressão para ser o Tordo. Como ela vem tentando digerir tudo o que aconteceu nos últimos tempos. Mas o título dessa parte, se deve também, ao que aconteceu com o Distrito 12, que foi totalmente destruído pelo fogo. Tudo virou cinza_ menos, a Aldeia dos Vitoriosos.

Além disso, conta como estão alguns dos outros personagens e o que aconteceu com aqueles que não foram resgatados da arena. E, bem, é óbvio que quem pegou eles foi a capital. E vai usá-los, ou melhor, em um primeiro momento, usar Peeta para falar com Katniss. Só que ao colocar Peeta na TV para falar aos cidadãos de Panem, o efeito é contrário. Katniss, assume enfim, a posição de Tordo. Mas, é claro, não vai ser nem de longe tão simples como parece.

A segunda parte, O assalto, fala mais sobre a guerra e como estão as coisas nos outros distritos. Tem o treinamento da Katniss, os pontoprops, tanto dos rebeldes quanto da Capital, as ameaças e mais do Distrito 13. O quanto profundo e seguro ele pode ser. Nessa parte, vamos conhecer outros distritos e a real situação que uma guerra provoca bem de perto. Tem momentos bem tensos e emocionantes. E por incrível que pareça, até os pensamentos mais insonsos de Katniss são interessantes e fundamentais na narrativa.

Por fim na terceira parte_ A Assassina, a guerra estoura de vez e vamos lutar na capital. Pois é. Os combatentes tem em mãos a missão de suas vidas. E muita gente fica pelo caminho nessa jornada, alguns personagens que já bem familiares, inclusive um a quem eu já havia me apegado, mas, acontece. Entre uma explosão e outra, vamos vendo a verdadeira face de algumas personagens, quem são os vilões disfarçados de mocinhos, vemos o amor, o ódio, a loucura, às vezes tudo de uma vez.

A Esperança é um livro, assim como os outros dois, surpreendente e arrebatador. Quando terminei a leitura senti uma vazio enorme, aquela sensação perturbadora pós-livro. Da mesma maneira que aconteceu com os outros, eu não conseguia sair daquele universo. Não podia me desligar das personagens, dos acontecimentos perturbadores e tudo o mais. Já era um mundo muito íntimo, familiar.

Pra quem está esperando um final feliz, já vou logo adiantando: sem chance. Collins não escreveu um final ah lá conto de fadas. Não. Magistralmente a autora encerrou a trilogia de uma forma... como posso dizer?
_Possível.
_Isso. Possível.
Depois de todas as suas perdas, Katniss cai em um abismo que parece não ter volta. Mas aos poucos, sua vida vai retomando o ritmo. Com a ajuda de Peeta, ela vai se refazendo, refazendo a vida. Eles jamais serão os mesmos, é claro. As lembranças não vão embora, as cicatrizes estão ali, os pesadelos às vezes são bem intensos, mas, eles seguem porque precisam, porque é assim que a gente faz quando perde tudo: recomeça.

Pra mim o final possível foi um dos pontos altos da trilogia. Afinal, é assim mesmo que são as coisas neh.

É isso!
Se já leram, contem o que acharam. Se não, contem quais são as suas expectativas.
Bjos!


"Meus filhos, que não encaram com indiferença a letra da canção:
Bem no fundo da campina, embaixo do salgueiro
Um leito de grama, um macio travesseiro
Deite a cabeça e feche esses olhos cansados
E quando eles se abrirem, o sol já estará alto nos prados. 

Aqui é seguro, aqui é u abrigo
Aqui as margaridas lhe protegem de todo perigo
Aqui seus sonhos são doces e amanhã serão lei
Aqui é o local onde eu sempre lhe amarei"
A Esperança, págs 418, 419



                                                         

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Luds, você é aquela que sempre se inspira em contos de fadas nos trabalhos de criação. esqueceu?! rsrsrs

      Excluir
  2. Apesar de ser bastante fã da trilogia, achei o ultimo meio que subjetivo. Demorou muito pras coisas realmente acontecerem, o que fez com que o leitor sentisse total desânimo de ler (no meu caso), diferentemente do que aconteceu "em chamas" e em "jogos vorazes"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou suspeita pra falar, porque eu simplesmente me apaixonei pela série. Pra mim os livros só melhoraram. Achei o três incrível. Cada detalhe, cada fala, todos os pensamentos de Katnniss. Não consigo decidir de qual livro eu gostei mais. Só sei que a sério é incrível. Top of mind! Rs

      Excluir
  3. Olá, sou também muito fã da trilogia, "engoli" os três livros em duas semanas.
    Mas fiquei desolada no final, com Gale ter ficado longe deles, a Katniss ter ficado naquele abismo depois de tudo, não saber como ficou os distritos depois do novo governo, também um pouco sentida da autora não ter desenrolado um pouco mais da história de amor dos dois no final, que esperei tanto... mas de qualquer forma amei todos os livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Também senti falta de muita coisa. como por exemplo, que fim teve a Johanna e tals. Quanto ao Gale, eu fiquei feliz por ele ter ido pra bem longe. Nunca fui com a cara dele. rsrsrs

      Obrigada pela visita! bjs

      Excluir
  4. É o melhor livro da série, na minha opinião, pq mostra como o ser humano é capaz de sobreviver e se reerguer mesmo depois de tanta miséria, horror, morte e desgraça. Me apeguei muito à katniss nesse livro, consegui me colocar no lugar dela de uma forma tão intensa, mais do que nos outros livros. Katniss não é carismática e nem adorável como Peeta, mas o fato dela ser uma sobrevivente e de permanecer lutando, mesmo quando parece não haver mais nenhuma esperança... Gente, essa é a beleza desse livro. Lembro que ela disse que não queria ter filhos, não queria que eles tivessem que viver num mundo horrível daqueles e no final, para minha total surpresa, ela tem filhos com Peeta, mostrando que Katniss, em algum momento, acreditou ou acredita em um futuro melhor, apesar de tudo. Belíssimo livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também me apeguei muito à Katnniss. Suzzanne conseguiu fazê-la uma protagonista muito humana, como poucos autores conseguem. Os filmes não mostram muito mas, ela é cheia de defeitos e falhas, às vezes é até egoísta. Não criar um final de contas de fadas foi pra mim a maior sacada dessa trilogia. Os personagens evoluíram e vão tocando a sua vida, porque se a gente parar pra pensar as coisas assim mesmo. Um dia após o outro.

      Bjos Fram

      Excluir