29 de dez de 2012

Resenha: Cinquenta tons mais escuros...

ou seriam mais chatos?

O ponto mais importante a ressaltar sobre este segundo volume da série é: Christian não fode duro mais. Ele agora faz amor lenta e carinhosamente. Aff!



Título: Cinquenta Tons mais escuros
Autora: E.L. James
Editora:  Intríseca

Depois de looongos quatro dias de seu rompimento com o multimilionário-maníaco-por-controle-sadomasoquista-deus-grego-de-olhos-de-cinza- Crhistian Grey, Ana está desolada, magra e abatida. Ela não come, não dorme, só chora. Mas eles voltam a se encontrar para ir à exposição de José_ aquele amigo da Ana que tentou lhe roubar um beijo quando estava bêbada, e que ela como uma boa menina perdoou. 

Enfim, eles vão à exposição_ de helicóptero, claro(!), uma vez que Christian é muito humilde, e depois que ele compra todas as fotos de Ana que estavam expostas, eles vão ter a tão esperada conversa, onde Grey diz como ficou arrasado (sem ironias) por ela tê-lo deixado e que ele está disposto a tentar um relacionamento normal.

Enquanto Mr. Grey tenta abandonar seu passado obscuro no
quarto vermelho da dor, ele vai revelando à Ana fatos sobre a sua infância traumática, os motivos porque ele não gosta de ser tocado, seus pesadelos, e os detalhes que ele não revela, sua família perfeita o faz. Essas revelações são um dos (poucos) pontos bons do livro. 

Ouvi muita gente dizer que Cinquenta tons mais escuros tem menos sexo que o primeiro. Devo ter lido o livro errado, só pode. Porque eu não aguentava mais ver a Anastasia explodindo em orgasmos. Sério: já tava ficando chato. E mais chato ainda, era ter que aguentar ela o tempo todo se perguntando se poderia ou não ficar com Christian Grey, se ela era capaz de satisfazer todas as suas necessidades_ leia-se prazer na dor alheia. Outro também que irritou nesse livro foi o Christian, o tempo inteiro dizendo Ana não me deixe, eu não sei viver sem você. Deu pra entender na primeira vez que ele falou. Não precisa ter repetido isso nas outras 400 páginas.

Aliás, a repetição é o grande pecado de E. L. James em Cinquenta tons mais escuros, esse e também criar falsas expectativas no leitor. Tem umas partes que poderiam ser bem emocionantes na narrativa, como uma ex-submissa problemática que está perseguindo Ana, não fosse o fato de que de repente a emoção é cortada. Você lê, lê, esperando acontecer alguma coisa e não acontece nada. ¬¬

Como eu disse, Christian está tentando abandonar seu passado no quarto vermelho da dor. E ao invés de apoiar totalmente essa iniciativa, o que a Anastacia faz? Fica insistindo em voltar lá. E quando ela pensa nisso sua Deusa Interior_ Deusa Interior? Tô começando a achar que isso é uma Pirigueti Interior. Enfim, ela desperta e começa a dar cambalhotas. O que me faz pensar que no fundo, Ana gosta de apanhar. 

"_Mas você se importa se eu bater em você?
 _Com o quê?
 _Com isso._ Ele levanta a mão.
 _Não, não me importo..."
                                           pág. 39    

Ela podia ter dito que não queria mais isso. 

Concluindo, é um livro que eu recomendo? Se você leu o primeiro sim. Mesmo porque, teve gente que leu e amou e disse que sou uma insensível por não ter gostado. ¬¬ Fazer o quê neh! 
Falando sério, eu sempre sou a favor de que as pessoas leiam. Inclusive os livros que eu não gostei, porque é tudo uma questão de opinião. E as opiniões são sempre diferentes. 


Ah... já ia me esquecendo. O casal principal é inspirado no
Crepúsculo neh?!
Mas um belo domingo a noite eu estava de bobeira quando o filme do Homem de Ferro (amo!) começou, e eu percebi que o Christian Grey tem tanto características de Tony Stark (ou mais), do que do Edward Cullen. Afinal, tanto Stark quanto Grey, dirigem um Audi r8, e são "gênio, bilionário, playboy, filantropo". rsrsrs



* Assim como no primeiro livro, nesse E.L.James, nos dá uma trilha sonora bem diversificada. E dessa trilha, a  música que eu mais gostei, foi Try-Nelly Furtado. Que eu deixo aqui para vocês. Já conhecia essa música há uns cinco anos mais ou menos. E James não poderia ter escolhido uma música mais adequada ao momento em que ela está presente no livro.

Desculpem por não tê-la postado antes.





ps: eu não dei muita sorte com sequências esse ano. Espero que em 2013 seja diferente!






8 comentários:

  1. Pretendo ler esse livro em breve.

    Minha prima comprou e disse que ia me emprestar... só que ela falou a mesma coisa que você, que isso do sexo chega a ficar irritante.

    Mesmo assim ainda quero ler, Hahá. Quero tomar minhas próprias conclusões!

    Adorei o blog!


    bjão!



    http://mondarikc.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Lê sim Rodrigo, o marido da minha prima tá lendo o primeiro e está amando.
    E acho que ao contrário de mim, ele vai amar esse também. E quem sabe também?!
    Como eu disse é tudo uma questão de opinião!

    Bjo!

    ResponderExcluir
  3. Juliene obrigada pelas visitas no meu blog..
    Suas resenhas são ótimas, quanto ao livro não li, mas já ouvi muita gente falar, talvez não li não por preconceito, mas talvez pelo livro não ser da minha linha de leituras...

    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada Fernanda e muito obrigada!
      O primeiro livro da série deu pra ler, mas esse segundo é meio maçante.

      Bjos volte sempre!

      Excluir
  4. Olá!! Eu li o primeiro, mas não sei se lerei os outros dois, eu não gostei muito e tenho tantos livros pra ler, não colocarei esse na frente de nenhum, hehe, então, tua resenha ficou ótima, mas aaafff mesmo: faz amor lenta e carinhosamente ¬¬
    Pois é, acho que realmente não vou ler, haha
    Gostei daqui, belo blog!!
    Beijokas
    Lara - Magia Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lara! Td bom?
      Eu estava decidida a ler a trilogia mas, depois desse segundo volume... Quem sabe lá pras férias de julho, depois que eu tiver lido os outros tantos que quero ler?!

      Seja muito bem-vinda e volte sempre!!!
      Bjos Ju

      Excluir
  5. Aqui, só escuto criticas negativas sobre esse livro: 50 tons de cinza e suas

    continuações;dizem que a obra é fraca e tal ! E aí?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho que a escrita de E.L James seja fraca. Ela só repete muito as coisas, e às vezes faz uns dramas desnecessários. Realmente tem muita gente que fala mal, ao ponto que muitas outras falam super bem. Eu gostei do primeiro e destestei o segundo. Portanto, te aconselho a ler, assim você pode tirar as suas conclusões!

      Bjo
      Obrigada pela visita!

      Excluir